Falar de rótulos musicais é complicado, pois além de serem conceitos sempre relativos, deve haver um cuidado em usar esses rótulos como referência para os diferentes tipos de música, mas nunca como uma forma de classificar ou estereotipar(e limitar) a música.

É importante ter uma noção geral de estilos diferentes, afinal cada vez mais a musica se sub-divide em gêneros novos, num sinal de personalidade musical cada vez maior, e, havendo interesse por determinada linha, é bom saber mais sobre sua origem, contexto e cultura envolvida.

Escrevo aqui pra dar uma noção geral sobre três generos na musica eletrônica: trip hop, breakbeats e drum’n’bass, afinal, sou DJ e trabalho há anos com estes estilos, os quais são meus preferidos…

Trip Hop

Trip Hop é mais um rótulo musical para definir um som que surgiu na Inglaterra na metade da década passada. Um som tranqüilo, com texturas bem trabalhadas (em geral lo-fi e viajantes) e batidas derivadas do hip hop.
O estilo abrange infinitas possibilidades, já que as batidas negras são quase “onipresentes” na musica eletrônica atual e que entramos numa era onde se valoriza bastante a produção, timbres, texturas, e não só apenas a melodia e letras.
Alguns dos principais representantes: Portishead, Massive Attack, Tricky, DJ Shadow,
Kruder & Dorfmeister.
Quando o termo trip hop surgiu, houve uma controvérsia acerca do estilo, pois alguns selos americanos, só preocupados em fazer promoção de seu produto, usaram a denominacao inglesa para um estilo que seria o breakbeat, batidas quebradas misturadas com teclados techno e feeling rock’n’roll, algo como a versão americana para o som dos Chemical Brothers.
Isso fez com que houvesse uma confusão a respeito do que era o trip hop, mas na verdade o que persistiu foi o conceito Europeu, onde o ritmo foi realmente gerado.

Breakbeat

O Breakbeat surgiu nos estados unidos, no começo dos anos 90, com produtores que usavam influncias do freestyle e do hip hop para fazer um ritmo mais acelerado e com guitarras, como descrevi acima. Os europeus inventaram a denominação big beats, que significa praticamente o mesmo. Alguns grupos de rock encorporaram influências do breakbeat, criando o hardcore rock eletrônico.

Drum’n’bass

E, finalmente o Drum’n’bass, ritmo bastante versátil e diria até visionário, pois incorpora, democráticamente, influências de diversos estilos, do jazz ao techno. O drum’n’bass, como o hip hop, nao se limita só à música, existe toda uma ideologia, contexto cultural, respeito mútuo, união, atitude. Mas aqui me limito a descrever algumas sub-divisões, para que se possa entender um pouco mais das segmentações do ritmo.

Drum’n’bass

E, finalmente o Drum’n’bass, ritmo bastante versátil e diria até visionário, pois incorpora, democráticamente, influências de diversos estilos, do jazz ao techno. O drum’n’bass, como o hip hop, nao se limita só à música, existe toda uma ideologia, contexto cultural, respeito mútuo, união, atitude. Mas aqui me limito a descrever algumas sub-divisões, para que se possa entender um pouco mais das segmentações do ritmo.

Jungle

Basicamente o herdeiro direto do ragga (reggae eletrônico) com as batidas de funk/hiphop aceleradas, linhas de baixo predominantes. Depois que surgiu, o jungle evoluiu em várias direções, e, ao perder a maioria das características jamaicanas,começou a ser chamado de DRUM’N’BASS.

Ragga Jungle

Na verdade é o formato no qual o jungle surgiu, com caracteristicas mais presentes do ragga, inclusive sempre com um toaster (rapper jamaicano) em cima.

Hardstep

D’n’B mais pesado, potente, hardcore.

Jump up

Como é chamado o D’n’B mais pop, bem dançante, com menos peso do que o hardstep, e com riffs de bass mais fáceis, batidas e viradas seguindo basicamente o mesmo formato.

Jazzy drum’n’bass (ou Jazzstep)

D’n’B com influência jazz.

Techstep

D’n’B com influências diretas do techno, teclados mais sintetizados,linhas repetitivas que as vezes lembram o trance…

Ambient d’n’b / intelligent d’n’b

Dá no mesmo, mas acho “intelligent” um termo meio “burro”.. 😉 particularmente prefiro usar “ambient”. São aqueles D’n’B’s onde os teclados e a atmosfera mais tranquila predominam sobre as batidas e o peso.

Dark

pode ser dark step, dark d’n’b.. é quando rola aquele clima soturno, épico, as vezes até lembrando um filme de terror…

[hr]

Uma recomendação: Tem um livrinho bem interessante que comprei, é um guia completo sobre os representantes desses estilos, se chama “Drum’n’bass – the rough guide (jungle-big beat-trip hop)” – Peter Shapiro – UK , compila biografias resumidas, e muitas vezes com uma foto, de cada projeto / produtor / intérprete.

Bom, por agora é isso, lembro que estou a disposição no [email protected] para qualquer cosulta, dúvida, correção ou informação adicional…

abraços
Lucio K – Produtor musical e DJ – RJ