Garoto que cresceu ao som da guitarra baiana e à base de choque de trio elétrico em dia de chuva, Pedro Baby encerrou o segundo (ou seria terceiro) dia de Humaitá Pra Peixe desfilando a tradição da baianidade eletrificada. A formação que o filho de Baby e Pepeu levou para o Sérgio Porto é a mesma que gravou e se apresentou com Preta Gil em seu primeiro disco “Pret à Porter”: Gil (bateria) e Betão (baixo e guitarras), filhos de Paulinho Boca de Cantor, João Donatinho (teclados), filho de João Donato, André Gomes (baixo) e, claro, Preta Gil emprestando voz em participação especial que durou meio show.

humaitá pra peixe

A família Baby, Pepeu e SNZ baixou em peso no Humaitá para ver a apresentação. E se filho de baiano, baininho é, Pedro e banda, uma quase reunião da molecada que pulava amarelinha no sítio dos Novos Baianos em Jacarepaguá, mostraram uma pegada pop carregada no dendê. Com meio show encaminhado, abaixaram a bola para levar duas canções bem sonolentas que dispersaram o público. Logo emendaram em “Andaraí”,faixa que abre o disco de Preta.

Voltaram com mais pop baiano funkeado e Pedro evocou a presença das irmãs de nome esquisito das quais é impossível abstrair. “Velha Infância”, música
Tribalista de autoria de Pedro, Davi Moaraes, Arnaldo Antunes, Marisa Monte e Carlinhos Brown, bateu meio torto no ouvido. Pedro encerrou repetindo aquela que parece ser sua música de trabalho, com levada boa, refrão grudento e pegada forte, característica da banda que pode aparecer com coisas mais legais num futuro bem próximo. (LL)

China deixa saudade do Sheik Tosado no Humaitá pra Peixe

China é ex-vocalista de uma banda que tinha tudo para acontecer nacionalmente, o Sheik Tosado. Lembro como se fosse ontem ele comandando uma multidão no Abril Pro Rock, em Recife, de 2000. O show no segundo dia da décima edição do Humaitá Pra Peixe foi uma prévia do que está para vir no disco “Um Só”, seu cd solo a ser lançado pelo selo Cardume em março. China não deixou de lado sua animação contagiante, pulando pra cá e pra lá sem parar, para desespero dos fotógrafos e cinegrafistas. Bem mais calmo do que no Sheik, musicalmente falando, o cantor mostrou a mistura de bossa furiosa com samba, hardcore e (pouco) de maracatu. “Um Só”, “Ultravioleta” e “Ainda Esquento o Barracão” foram algumas das músicas que empolgaram uma parte do Sérgio Porto – a outra aderiu ao sacolejo de Pedro Baby.

O show contou com as participações de uma cinegrafista nos vocais de uma música (!!) e da musa Bianca Jhordão no theremin, aquele instrumento esquisito que funciona a base de vibrações. A banda de China, excelente, era formada por Rafael Crespo (do Planet Hemp), Maurício Chiari (bateria), Rafael Pirulito (baixo) e Chico Moreira (teclados). Tudo bem que não foi uma apresentação á altura de sua ex-banda, mas o cara tem tudo pra chegar lá. (JV)

Por Joca Vidal e Leo Lima


MOOD

Pense num site onde é possível encontrar entretenimento, cultura, playlists e dicas tudo num só lugar. Muito mais que um depositório de ideias, na MOOD é possível encontrar o que acontece no seu universo. Voltada para almas jovens e curiosas, o site é um espaço que permite a criação, lança tendências e transcende os padrões dos veículos tradicionais, desenvolvendo desde estudos mais complexos sobre a contemporaneidade até divagações rotineiras do nosso dia a dia.

All author posts

Privacy Preference Center