Prestes a estrear sua quarta temporada dia 03 de fevereiro, a Martes On Fire confirma que Montevideo estava carente de opções musicais de qualidade durante a semana. Comandada por Francisco Fattoruso, baixista de qualidade ímpar e filho de Hugo Fattoruso, um dos músicos mais famosos do país, a noite junta experimentações e jam sessions entre nomes de destaque da rica cena musical uruguaia e argentina como Julieta Rada, Aca Seca Trio, Rey Tambor e Luis Salinas, entre outros, e números ensaiados por uma banda base formada por Francisco, Nicolas Ibarburu (guitarra), Tato Bolognini (bateria), Ignacio Labrada (teclados) e Camila Sapin (vocal).

 

Francisco Fattoruso

 

Cada edição do Martes On Fire é única e não se prende a um estilo musical, podendo ir do hip hop ao gospel, passando pelo rock e jazz. “Acreditamos que para o público é uma proposta super inovadora. O Paullier y Guana na terça-feira tornou-se a casa da música e da arte e também desejamos agregar pintores, escultores e artistas diferentes para que se sintam confortáveis em participar deste projeto, mostrando suas obras. No Martes, a banda começa com duas músicas e depois chama os convidados, que são aproximadamente 20 por noite, entre músicos e cantores. Com a maioria falamos antes pelo facebook para saber o que vão e o que querem tocar. O convidado da noite de abertura da quarta temporada é o guitarrista Federico Navarro“, ressalta Natalia Roibal, da Mi Casa Produções e esposa de Fran.

Situado na esquina das homônimas ruas no Centro, em uma lendária casa datada de 1909, o Paullier Y Guaná tem o palco no subsolo e que atende uma platéia pequena de 80 pessoas. É normal os ingressos se esgotarem ou fazerem duas sessões para públicos diferentes, dependendo do artista convidado. Ano passado estiveram tocando lá alguns dos melhores músicos uruguaios como Fernando Cabrera, Juan Pablo Chapital e Albert Pla, além de brasileiros como a capixaba Tamy, residente na cidade.

 

Claudio Martinez

 

Estive lá em outubro passado e presenciei uma noite inspirada, com Francisco dando oportunidades a jovens músicos desconhecidos antes de entrar em cena. Julieta brilhou cantando Stevie Wonder e Bruno MarsClaudio Martinez levou magistralmente ‘Yo Vengo Ofrecer Mi Corazón’, de Fito Paez. Fran esmerilhou seu baixo em temas como ‘So What’ (Miles Davis), provocando a platéia encharcada de Jameson, o whisky da moda por lá, e cerveja Zillertal.

“Acho que o Martes On Fire tem se posicionado como o mais importante evento musical que reúne músicos de Montevidéu, alguns dos mais valiosos que esta terra proporcionou ao longo das últimas décadas, como Francisco Fattoruso e Nicolas Ibarburu. O Martes significa uma oportunidade fantástica para se reunirem semanalmente e eles dão chances para novos músicos se apresentarem, subirem no palco para improvisar, criando uma explosão única de música. O que acontece lá é sempre mágico. O local também é uma escolha natural para músicos internacionais que vêm fazer shows no Uruguai, pois podem tocar de uma forma descontraída, informal. Francisco é uma imensa figura, extraordinário, um dos músicos mais fascinantes que eu conheço”, me contou via facebook o jornalista e músico Alfredo Percovich.

Quando fui a casa estava cheia do lado de fora também, já que só é permitido fumar na área externa, mas nada que atrapalhasse a vizinhança. Educados, os uruguaios são acolhedores e discretos e recebem bem os brasileiros. Se estiver de passagem pela cidade vale uma conferida, inclusive se quiser pode até jantar por lá, a comida é formidável!

 

Serviço:

> Martes On Fire

Todas as terças-feiras no Paullier Y Guana Bar

Horário: 22h30 (pontual)

Entrada: 150 pesos

texto e fotos: Joca Vidal (https://www.flickr.com/photos/jocavidal/)