Nos meses de maio e junho de 2014, o projeto participativo Som da Maré vem contextualizar a energia de um grupo de moradores do conjunto de favelas da Maré através da arte sonora, resgatando vivências e lugares.Estas memórias contam histórias e deixam marcas no espaço que contribuem para a cultura local.

Quatro meses de oficinas e trabalho de campo formam a base de duas intervenções culturais que tiveram início no dia 20 de maio e seguem até o dia 20 de junho: uma exposição de arte sonora no Museu da Maré e passeios sonoros guiados na cidade do Rio de Janeiro. Estas intervenções apresentam realidades, lembranças e ambições da vida cotidiana da Maré através de som imersivo, fotografia documental, texto e objetos.

O projeto Som da Maré reúne diversos grupos de participantes que juntos desenvolveram temáticas, materiais e estratégias para a articulação de elementos da vida na Maré. Os participantes incluem bolsistas Jovens Talentos FAPERJ e suas famílias, alunos de pós-graduação da UFRJ, alunos de doutorado do Sonic Arts Research Centre e membros da Cia Marginal, companhia de teatro da comunidade. O projeto conta ainda com a participação de professores da área da música, etnomusicologia, arte e arquitetura da UFRJ e de uma parceria com o Museu da Maré. Mais de trinta pessoas vieram somar e tornaram este projeto possível.

 

Equipe Som da Maré com auto-falante-1

 

Durante o desenvolvimento do projeto, várias mudanças ocorreram na cidade como um todo e, particularmente na Maré, o que gerou alteração das políticas territoriais dos espaços implicados no planejamento dos idealizadores. A forma como estes eventos se tornaram parte da rotina dos moradores sugeriu mais um ponto de reflexão sobre identidade, território e comunidade.

Som da Maré articula pequenos fragmentos de toda essa expressão cultural através do som. Entre tecnologias e experiências de vida, estas vivências podem ecoar na forma de memória mas também de ambições futuras, resignificando o espaço e o lugar através do tempo.

O curador e coordenador do projeto é Pedro Rebelo, professor e diretor de pesquisa no Sonic Arts Research Centre, Queen’s University Belfast e professor visitante sênior na UFRJ. Este trabalho tem como base metodologias desenvolvidas para o “Sounds of the City – Belfast”, (encomendado pelo Metropolitan Art Centre, para a sua abertura em 2012) que foi edificado junto a participação ativa de dois grupos moradores da cidade de Belfast na Irlanda do Norte.

EXPOSIÇÃO: Até 20 de junho
Museu da Maré
Av. Guilherme Maxwell, 26, Maré, Rio de Janeiro
19 de Maio – 20 de Junho 2014
10h às 17h

PASSEIOS SONOROS: Até 20 de Junho 2014

Marcação e informações no site somdamare.wordpress.com