Campanha: Deixe sua mãe ser mãe!

Não a reprima quando ela quiser te beijar e apertar na frente dos seus amigos! Deixe-a choramingar quando você desaparece por cinco dias sem dar um telefonema! Faça um cafuné quando ela implorar para lhe comprar calças novas!

A criatura DEU COSTAS À VAIDADE para engravidar de você; INTERROMPEU A PRÓPRIA VIDA para te amamentar e trocar suas fraldas; e depois COLOCOU TODO O RESTO EM SEGUNDO PLANO, inclusive o seu pai, para estudar com você, levá-lo no pediatra, organizar festinhas de aniversário e viagens à Disney; e, mais tarde, escutar as suas músicas altas, as suas reclamações de namorados, e assinar os seus boletins escolares fracassados…

Daí de repente você virou um adulto, dá as costas, vai embora, e quer que ela compreenda que você é um ser humano integral e independente?! Como assim?! Ela nem chegou a se dar conta de que você cresceu (talvez nunca chegue a fazê-lo) e você exige que ela se comporte como uma senhora normal? Veja bem, eu não sou mãe de ninguém, mas não é muito difícil compreender o drama maternal. Compreenda isto e você será mais feliz! 

Ao mesmo tempo não caia em suas chantagens emocionais e não ceda aos seus conservadorismos – mães precisam entender que as maluquices dos seus filhos existem para ATUALIZÁ-LAS, para não deixá-las envelhecer. É o que as mantém jovens, muito mais do que um bisturi afiado de um cirurgião plástico afetado. Ao invés de se tornar o homenzinho/mulherzinha que a mamãe queria, torne a sua mãe uma mulher de hoje em dia! Só um filho possui este poder.

Estar em harmonia com sua mãe é uma ÁRDUA ARTE. E dominar esta arte é resignar-se com o fato de que você não sabe NADA sobre sobre o devir materno. Assuma sua ignorância e devolva à sua mãe o direito inalienável de se comportar como uma!

Deixe uma resposta