Lembram do medo que surgiu junto com a internet, e ainda tá bem vivo, de que se relacionar pela rede é perigoso? Essa ideia foi por água abaixo! Uma pesquisa realizada nos EUA provou que relações amorosas iniciadas através da web são mais estáveis, duradouras e, estatisticamente, mais felizes 😀

O estudo da Universidade da Flórida analisou casais americanos, um total de 19 mil voluntários, e afirmou que um terço dos casamentos estadounidenses começaram através de redes sociais (as cutucadas do Mark surtem efeito, afinal…), sites de relacionamento (eles funcionam, oremos!), salas de bate-papo (#quemnunca) e uma pequena porcentagem relacionada a blogs, e-mails e mensageiros instantâneos.

Homens hispânicos estão no topo da pirâmide amorosa do mundinho virtual, sangue latino mostrando seu valor, a faixa etária de 30 e 50 anos tem propensão ainda maior de resultar em casamento estável e, pasmem, 6% é o percentual de divórcio após “casamentos cibernéticos”, contra 7,5% após casamentos convencionais!

Será que a vida anda tão corrida que a galera não tem mais tempo nem de dar um flertadinha ao ar livre? E nesse Dia dos Namorados, o doodle love do Google vai inspirar novos webcouples (falando nisso, vcs já viram? http://goo.gl/8gyoC )

Seja pela web, seja na micareta, seja no alto da Torre Eiffel que tenha iniciado o seu namoro, tenham todos um ótimo Dia dos Namorados e, hoje pode ser clichê, que seja eterno enquanto dure! No MOOD de transbordar amor <3

E agora bora matar a curiosidade e analisar, milimetricamente, todos os dados da pesquisa pra tirarem suas próprias conclusões, aqui ó e aqui também)

PS: se você faz parte dessa estatística, conta pra gente os prós e contras, o pessoal tá no MOOD da curiosidade!


Paula Moran

Gauchíssima, já quis ser arquiteta, bióloga marinha, jardineira e bailarina, no momento é conteudista na MOOD, social media em uma agência digital e estudante de Jornalismo. É curiosa e fofoqueira, mas não curte muito o ser humano, então prefere interagir com as plantas. Quando crescer quer ser instrutora de yoga para animais, mas antes disso precisa parar de fumar. Nas horas vagas costuma alternar paixões entre livros, lápis, papéis, música, incensos, chás e tatuagens. Se tudo der certo vai dar tudo errado e ela vai ser deportada para o Uruguai.

Facebook: https://www.facebook.com/paulinhamoran
E-mail: [email protected]

All author posts

Privacy Preference Center