Entrevista | Felguk

Ao contrário do Brasil, o Felguk  só marca gol! Considerado o maior nome da música eletrônica nacional – pelo terceiro ano consecutivo é o único do país a figurar no TOP 100 da revista inglesa DJ Mag – o incansável duo carioca formado por Felipe Lozinsky e Gustavo Rozenthal lança single atrás de single e vai, aos poucos, consolidando sua carreira com participações em festivais ao redor do mundo. Neste final de semana tocam no Azores Green, em Portugal, e no incrível TomorrowLand, na Bélgica.

É claro que o fato de, em ano de Copa do Mundo, fazerem parte de uma compilação produzida por Norman Cook (Fatboy Slim) também bota a moral deles lá em cima. Assinando um remix inédito de “Taj Mahal”, de Jorge Ben Jor, no disco estão ao lado de outros artistas escolhidos por Fatboy Slim como DJ Fresh, Gregor Salto, Psychemagik, Eats Everything, Dimitri Vegas & Like Mike, Claude Von Stroke e Joey Negro. “A Copa botou o Brasil todo em evidência. Além do remix de Taj Mahal feito pra compilacão do Fatboy, tocamos no Bud Hotel em Copacabana/Rio de Janeiro e no Fifa Fan Fest em Salvador/Bahia”, nos conta o Felguk, com exclusividade por e-mail.

Trabalhando juntos desde 2007, Felipe e Gustavo levam na memória participações nos principais festivais do mundo (Electric Daisy Carnival, Nocturnal Festival, Electric Zoo, Burning Man, Lollapalooza e Rock In Rio) e o passaporte carimbado pelas alfândegas da Austrália, Bélgica, Canadá, Escócia, Espanha, EUA, México e Suíça. “Estamos vendo a música eletrônica aos poucos saindo do nicho e indo para o mainstream, com todos os prós e contras que isso implica. O mercado hoje está muito mais profissional, com mais infra-estrutura de gravadora, editora, divulgação, etc. Antes a construção da carreira se dava quase que exclusivamente pelos shows e mídias sociais, hoje existem muitos outros parâmetros”.

 

foto 6

 

O remix mais famoso que fizeram foi para a Madonna, mas eles também já trabalharam com David Guetta, Flo Rida e The Black Eyed Peas. “O remix da Madonna foi o primeiro trabalho que realmente nos deu visibilidade de midia”, disseram. “Também foi um desafio, pois era o nosso primeiro remix para um artista grande e não estávamos habituados a trabalhar com prazos tão curtos. Foi um episódio que certamente nos fez crescer bastante profissionalmente”. Ah, vale lembrar que eles abriram os shows brasileiros da turnê de 2012 da material girl.

Com o lançamento do EP “Slice & Dice”, em 2013, o Felguk ganhou turnê especial. Utilizando um aparato tecnológico de última geração para concepção de palco, iluminação e efeitos especiais, eles pensaram na interação do artista com o público. Mas não pensem que a produção ficou de lado: “Estamos focados dentro do estúdio, queremos nos concentrar em produções novas, sejam elas originais, colaborações, ou até remixes. Vamos lançar em breve a track “NOVA”, feita em parceria com Dimitri Vegas & Like Mike e Tujamo. Além disso estamos com nosso podcast engatilhado, acredito que em agosto já esteja no ar, fiquem ligados!”

 

Última pergunta:

O que o Felguk ouve quando quer relaxar?

Fel: “Olha, por mais relaxado que eu fique, eu sempre vou flertar com algo mais pesado. Eu costumo colocar Linkin Park, System of a Down, Justice e por aí vai. Acho que eu não relaxo nunca né?! Risos”

Guk: “Black Keys, Radiohead, Kings Of Leon e rock em geral”

Deixe uma resposta